REFERENCE EXHIBITIONS IN ITALY
ASSOCIATED COMPANIES

ASSOMAC ONSTAGE

 

A01 – Maquinária de Ribeira

Diferentes tipos de máquinas para processamento de peles cruas, do material bruto até produto semi-processado (wetblue). O processo de curtimento é uma sequência de operações químicas facilitadas por acões mecânicas (ribeira); principalmente: imersão para rehidratação, caleiro (remoção de pêlos) e recaleiro, bater sal, desengraxe, decapagem e curtimento. O processo é intermediado por operações mecânicas para otimização do tamanho, especificamente: descarne, divisão em tripa/caleirado ou divisão em wetblue e raspagem. Por fim produtos semi-acabados (wet blue) são obtidos, podendo ser armazenados e comercializados neste estágio ou ter o processo estendido para as fases de pós-curtimento, recurtimento, engraxe e tingimento, para obter produto semi-acabado (crust).

Máquinas para remoção mecânica do sal excedente da conservação. Esta operação contrinui para redução da água consumida durante a fase de rehidratação. As máquinas são completas com uma peneira cilíndrica rotativa onde as peles cruas são carregadas para separação do sal.

Máquinas de imersão para peles cruas (ovelha, cabra e outros). Substancialmente este tonel feito de tijolos, concreto, madeira ou aço é um dispositivo de rotação mecânica para amaciamento.

Máquinas usadas para desengraxar peles/couros através de solventes. A estrutura das máquinas é similar às máquinas industriais de lavagem têxtil, para usos com sistemas de reciclagem e recuperação de solventes.

Misturadores (tipo similar a fulões), para exercer efeito mecânico, bater peles, para grandes volumes de produto, com lâminas angulares para mistura de peles/couros com água. Os misturadores são providos de funís para carga de produtos.

Os fulões são grandes recipientes impermeáveis de tamanhos variáveis onde as peles/couros são processadas de acordo com os estágios de curtimento. Ribeira: imersão para rehidratação, caleiro, recaleiro, desengraxe. Na sequência os passo de decapagem e curtimento e por fim utilizados para recurtimento, engraxe e tingimento. A ação mecânica nas peles, em função da rotação, maximiza a absorção de químicos e induz as reações do processo. Estas máquinas podem ser construídas com diferentes materiais: madeira, aço inox, polipropileno, etc e podem ser totalmente automatizadas através de dispositivos de controle (rotação, temperatura).

Dispositivos automáticos para revestimento com produtos depilatórios (tintas) em peles/couros com pêlos; a operação é desempenhada através de espátulas de aplicação colocadas sobre uma correia contínua que desliza nas peles/couros.

Dispositivos mecânicos para raspar peles e couros tratados com produtos depilatórios (tintas). Os sistemas são equipados com cilindros rotativos que permitem a remoção dos pêlos através de uma força tênsil exercida sobre a superfície de couros e peles.

Máquinas de cilindros de borracha rotativos para tirar lã de peles de ovelha e cabra, adequadas ao aproveitamento da lã.

O processo de descarne pode ser realizado usando máquinas de movimento vai e vem, introdução dupla ou individual contínua. Em ambos os casos o processo consiste da passagem do couro por um par de cilindros rotativos, sendo um com lâminas espirais que realiza o descarne. O processo é útil para remover os resíduos de carne e uniformizar a espessura da pele.

O processo de divisão da pele em camadas horizontais permite alcançar a espessura desejada e simultaneamente recuperar um subproduto (raspa), o qual é processado de uma forma semelhante à pele da qual deriva. Esta operação pode ser realizada em diferentes etapas do processo de manufatura. A divisão da tripa é realizada em peles grandes utilizando máquinas equipadas com cintas laminadas circulares montadas em polias, especialmente projetadas para facilitar a introdução da pele. Equipadas com sistemas de precisão micrométricos, como a inclinação da mesa de introdução e a posição da lâmina, que assegura o ajuste da espessura com grande precisão. As lâminas são automaticamente afiadas através de pedras de amolagem montadas no deslizador.

O processo de divisão da pele em camadas horizontais permite alcançar a espessura desejada e simultaneamente recuperar um subproduto (raspa), o qual é processado de uma forma semelhante à pele da qual deriva. Esta operação pode ser realizada em diferentes etapas do processo de manufatura. A divisão na fase molhada é praticada em peles curtidas utilizando máquinas equipadas com cintas laminadas circulares montadas em polias, especialmente projetadas para para facilitar a inrrodução da pele. Equipadas com sistemas de precisão micrométricos, como a inclinação da mesa de introdução e a posição da lâmina, que assegura o ajuste da espessura com grande precisão. As lâminas são automaticamente afiadas através de pedras de amolagem montadas no deslizador.

Raspagem é um processo de produção para ajuste final da espessura que pode ser realizado tanto na fase molhada quanto no estágio de acabamento. As máquinas são usadas na preparação do lado da carne de peles e couros, as quais removem o material em excesso e deixam uniforme a espessura, usando lâminas afiadas montadas num cilindro rotativo espiral, enquanto o lado da raspa fica de frente para o cilindro de pressão. A afiação constante das lâminas é garantida por um carro móvel de polias amoladoras.

As enxugadeiras são máquinas usadas nos curtumes para "espremer" as peles/couros. A ação combinada de cilindros revestidos por material abosrvente pressiona o líquido do banho preso nas fibras e o remove. A enxugadeira pode ser tanto do modelo tradicional como contínuo.

Este processo é executado através da ação de um conjunto de rolos, incluindo um rolo com lâminas arredondadas, as quais atuam com pressão variável sobre o rolo de pressão, comprimindo e espremendo as peles para remover uma quantidade substancial de água com a qual as peles podem estar impregnadas; alargando e achatando as peles; eliminando o quanto possível as rugosidades; amaciando e deixando as peles alisadas.

Máquinas para umidificar: têm a função de rehidratar a pele para assegurar a umidade necessária para levar adiante os estágios de acabamento. A operação pode ser automatizada através de um sistema mecânico consistindo de uma série de bicos de spray e uma esteira de transporte onde o couro é carregado.